Brasão da Prefeitura Municipal de São Pedro da Aldeia.

Trabalho e desenvolvimento

Capacitação de auxiliares de classe de alunos inclusivos acontece em São Pedro da Aldeia

Por Marianne Rodrigues em 14/09/2018
Imagem da Notícia: Foi realizada nesta quinta-feira (13), em São Pedro da Aldeia, mais uma formação para auxiliares de classe de aluno inclusivo. O encontro aconteceu no auditório do Centro de Formação Continuada Professora Ismênia Trindade dos Santos (CEFOR), durante os três turnos, com carga horária de 4h, e contou com a participação de 215 auxiliares da rede municipal de ensino. A iniciativa é promovida pela Prefeitura aldeense, por meio da Secretaria de Educação, e ministrada pelas coordenadoras de Orientação Educacional e de Educação Inclusiva, Mariana Carreira e Madelaine Corrêa, respectivamente.

Foi realizada nesta quinta-feira (13), em São Pedro da Aldeia, mais uma formação para auxiliares de classe de aluno inclusivo. O encontro aconteceu no auditório do Centro de Formação Continuada Professora Ismênia Trindade dos Santos (CEFOR)durante os três turnos, com carga horária de 4h, e contou com a participação de 215 auxiliares da rede municipal de ensino. A iniciativa é promovida pela Prefeitura aldeense, por meio da Secretaria de Educação, e ministrada pelas coordenadoras de Orientação Educacional e de Educação Inclusiva, Mariana Carreira e Madelaine Corrêa, respectivamente.



A mediadora e coordenadora de Orientação Educacional, Mariana Carreira, falou sobre a proposta da formação. “A proposta foi fornecer mais conhecimentos para fundamentar a prática da educação inclusiva, apresentar e discutir bases legais, teóricas e práticas que regem a Educação Especial, além de falar um pouco sobre as deficiências, explicar toda questão da educação inclusiva, abordando os aspectos legais as diretrizes de trabalho”, disse.

O objetivo do encontro foi capacitar os profissionais que atuam com alunos inclusivos, favorecendo a ampliação do conhecimento sobre as deficiências, além de fomentar a reflexão sobre as diretrizes de trabalho, ética e postura do mediador no cotidiano escolar. A formação contou com aexibição de vídeos motivacionais, confraternização, dinâmicas e entrega de um cartão com frase de reflexão.

“A Educação Inclusiva é uma área delicada da educação e, se prepararmos bem os profissionais para estarem ao lado dessas crianças e adolescentes, vamos ter um fruto disso muito melhor do que se não tivesse essa reuniãoO acolhimento que fazemos nos encontros é para cuidar desse profissional, oferecendo o conhecimento básico de legislação, mas também um suporte emocional e psicológico para que eles possam ter tolerância com o aluno especial, que demanda mais paciência”, explicou a mediadora e coordenadora de Educação Inclusiva, Madelaine Corrêa.