Brasão da Prefeitura Municipal de São Pedro da Aldeia com fita rosa dedicado ao mês de Outubro em razão da campanha Outubro Rosa.

Trabalho e desenvolvimento

CAPSi completa primeiro ano de atividades em São Pedro da Aldeia

Por Gabrielly Costa em 11/10/2018
Imagem da Notícia: O Centro de Atenção Psicossocial Infanto-juvenil de São Pedro da Aldeia celebrou em 2018 o primeiro ano de atividades. Oferecendo atendimento a 58 jovens, a unidade realiza um trabalho voltado ao acolhimento de pacientes com transtornos mentais graves e persistentes, menores de 18 anos, de forma intensiva ou em situações de gravidade. O CAPSi é uma das portas de entrada para a rede de Saúde Mental do município, além de receber encaminhamentos, e a primeira unidade a ser inaugurada em toda a Baixada Litorânea.

O Centro de Atenção Psicossocial Infanto-juvenil de São Pedro da Aldeia celebrou em 2018 o primeiro ano de atividades. Oferecendo atendimento a 58 jovens, a unidade realiza um trabalho voltado ao acolhimento de pacientes com transtornos mentais graves e persistentes, menores de 18 anos, de forma intensiva ou em situações de gravidade. O CAPSi é uma das portas de entrada para a rede de Saúde Mental do município, além de receber encaminhamentos, e a primeira unidade a ser inaugurada em toda a Baixada Litorânea.



Diretora do Programa Municipal de Saúde Mental, Rosemary Calazans Cypriano enfatizou o trabalho realizado. “Nós não trabalhamos somente em cima do diagnóstico, nós trabalhamos também com a orientação da gravidade. Se uma criança está em vulnerabilidade de acordo com a gravidade do momento e essa gravidade a coloca em risco social ou psicossocial, ela é uma paciente de CAPSi e precisa de um cuidado intensivo que nenhum ambulatório promove. O transtorno mental infantil é difícil de ser diagnosticado, então precisa ser muito observado. Quanto mais cedo conseguirmos tratar do problema, melhor ele fica e isso serve para qualquer patologia. Esse é um tratamento que precisar ter o profissional da saúde, o usuário e a família. Se tirarmos um desses, não conseguimos avançar da melhor forma”, declarou.



Ao longo do período de um ano de funcionamento, a equipe da unidade promoveu um trabalho de organização de prontuário dos pacientes que recebiam atendimento ambulatorial e foram transferidos para o CAPSi antes da inauguração. A unidade também acolhe adolescentes que fazem uso abusivo de álcool e outras drogas, promovendo uma oficina semanal.



A coordenadora do dispositivo, Renata Alves, destacou a importância de começar o trabalho cedo. “Temos crianças que evoluíram significativamente em dois meses devido a esse atendimento mais intensivo. Quanto mais cedo você consegue intervir nessas crianças que já vêm apresentando esses transtornos, maior será a eficácia no tratamento. Aqui, nós trabalhamos autonomia e interação social desses pacientes que têm pouco disso. O convívio não é trabalhado numa sala fechada, a criança fica livre no dispositivo e esse é o momento em que conseguimos avaliar como eles se comportam com o outro no momento de espontaneidade”, explicou.



O Centro de Atenção Psicossocial Infanto-juvenil aldeense conta com uma equipe multiprofissional formada por psiquiatra, psicólogo, fonoaudiólogo, assistente social, enfermeira, técnica de enfermagem, administrativo, recepcionistas, auxiliar de serviços gerais, cozinheiro, voluntárias de psicologia e estagiárias de serviço social. Os pacientes atendidos no dispositivo possuem um projeto terapêutico singular, que indica os dias da semana que precisarão comparecer ao CAPSi, a intensidade do tratamento e a necessidade de alimentação e transporte.



Dentre as ações promovidas pelos profissionais do Centro de Atenção são destaques as oficinas de culinária, música e pintura, além das atividades externas. O acolhimento e a triagem, realizada de forma multiprofissional, acontecem diariamente no local. O CAPSi de São Pedro da Aldeia atende crianças e adolescentes na Rua São Pedro, nº 36, no bairro Estação, de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 16h30.